domingo, 23 de maio de 2010

Transplante de Medula Óssea Autólogo

O transplante de medula óssea autólogo (AUTO-TMO), também chamado de autoplástico é uma forma de tratamento hematológico no qual as células progenitoras hematológicas transplantadas são do próprio paciente.

As células progenitoras hematológicas, podem ser chamadas de células tronco hematopoiéticas (CTH). Estas células têm a capacidade repovoar a medula óssea tratada, auto-renovarem e produzirem todas as células sanguineas.









O AUTO-TMO pode ser utilizado para doenças malignas (câncer) e benignas.

Este tratamento é constituído por várias fases:

1- Regime de Mobilização de células tronco hematopoiéticas:

Este procedimento visa a coleta das CTH através de um processo hemoterápico chamado aférese.

Normalmente as CTH não circulam no sangue, para que isto ocorra é preciso utilizar meios artificiais como estimuladores de medula óssea e/ou quimioterapia.

Após a coleta das CTH estas células são congeladas, pelo processo de criopreservação.


2- Regime de Condicionamento:

Processo que se utiliza quimioterapia em altas doses com o objetivo de promover imunossupressão ou diminuir ao máximo resquícios de doenças oncológicas.

3- Infusão das Células Troncos

As CTH são infundidas na veia, como uma transfusão de sangue. Estas CTH encontram e se instalam na medula óssea, povoando-a e produzindo células sanguíneas.

4- Enxertia

A enxertia ou “pega medular” é o momento em que se constata o funcionamento da medula óssea através da recuperação da contagem de neutrófilos feita pelo hemograma. Isto, geralmente, ocorre entre 10 a 21 dias após a infusão das CTH.

Um comentário:

  1. Qual a contagem minima de leucócitos, pós Infusão CTH?

    ResponderExcluir